Mais uma vez a Cloud Computing (CC) volta a cena. Durante uma de minhas navegadas pela rede descobri um artigo sobre CC que achei interessante(em inglês). Resolvi traduzir para facilitar o entendimento. Não sei qual o principal objetivo do autor (se era realmente mostrar que não se pode confiar na nuvem, ou “aparecer” sendo contra a tendência da CC, enquanto a grande maioria dos especialistas da área são a favor).  Resolvi fazer alguns comentários sobre cada razão apresentada pelo autor.

1. Cloud Computing torna o seu setor de TI excessivamente dependente da Internet:

A CC existe da premissa que a Internet estará sempre robusta e confiável. Por mais otimistas que sejamos, há sempre o perigo dos imprevistos. Se empresas perderem a conectividade com a nuvem por alguns dias, ou houver uma interrupção na Internet afetar os serviços na Nuvem, podem haver sérios danos. Onde estaria seu banco de dados na nuvem? Pensando nisso, voce poderia preferir que seus servidores estevissem no seu quintal, ao invés de estarem localizados em um lugar desconhecido.

Comentário:

É bem verdade que através da nuvem, as empresas e usuários ficarão bastante dependentes da Internet. No entanto, não podemos esquecer que a cada dia mais largura de banda é acrescentada nos links mundo afora. Todos os dias novas tecnologias são desenvolvidas visando o crescimento da Internet. Os consumidores estão mais conscientes e mais exigentes. Com isso, se os governos incentivarem a concorrência entre as operadoras e ISPs (permitindo a entrada de novas empresas) a Internet terá equipamentos melhores, com maior confiabilidade, segurança e disponibilidade. É necessário que a concorrência entre as empresas seja estimulada e que investimentos sejam realizados. Assim, aumentaremos a disponibilidade e reduziremos o risco de que empresas tenham prejuízos por conta de uma indisponibilidade causada por falha nos equipamentos da Internet.

2. Cloud Computing vai atrair clientes principalmente em mercados ocidentais:

O CC assume implicitamente que a Internet é tão robusta mundialmente como é na América do Norte, Europa e algumas partes da Ásia. Mas clientes de países onde a conectividade onde a Internet é esporádica são desencorajados a entrarem na nuvem. Até a Índia, um país que é potência na área de TI continua a ter baixas velocidades de conectividade com a Internet. O descaso com a infraestrutura é tão notável que a maioria dos Indianos preferem as velocidades limitadas das Internet Móvel sem fio das companias de celulares. Até quedas de energia podem inviabilizar o acesso a nuvem. Eles aprederam que não devem confiar na infraestrutura da Internet nem de energia do governo. Eles matém seus próprios backups de geração de energia no próprio site.

Comentário:

Não se pode negar que os paises emergentes e de terceiro mundo ainda sofrem com a escassez de investimentos em infraestrutura de TI e que governos e iniciativa privada não investem o quanto deveriam para que possamos ter links com a largura de banda cada vez maiores e tecnologias que promovam uma disponibilidade cada vez maior – o que colocaria estes paises na vanguarda da tecnologia e poderia inserir as empresas desses paises na nuvem. Se houverem os devidos investimentos nesses paises, com certeza haverá demanda por serviços na nuvem.

3. Cloud Computing torna você dependente da boa vontade do seu ISP:

A CC pode requerer largura de banda gratuita para o cliente dependendo da localização do cliente na nuvem. E os mesmos ISPs que clamam por largura de banda podem cobrar, se proteger e até excluir usuários que excedam seu limite de largura de banda.

Comentário:

Isso já acontece sem termos de fato a CC funcionando com todo seu potencial. Há muito tempo que os ISPs praticam o traffic shapping, punido usuários que realizam muitos downloads – principalmente através de torrent. Já aconteceram casos de punição de ISPs no EUA, mas ainda não há legislação específica para punir os ISPs que limitem o tráfego dos clientes, muitas vezes baseados no contrato no qual o ISP garante apenas 10% do valor contratado. Portanto, não adiante querer influenciar pessoas a não adotarem a CC por causa de uma prática já disseminada pelos ISPs.

4. Cloud Computing pode expor clientes à práticas não éticas de seus ISPs:

Grandes provedores têm espiado as redes de seus clientes P2P em nome da indústria fonográfica. Será que podemos confiar nesses provedores para tratar o tráfego sensível e da nuvem? Dizem-nos que tudo vai ser criptografados através de VPNs. Mas, ainda assim, dado o papel maculado dos ISPs (Internet Service Provider), podemos confiar neles para o tráfego não-criptografado?

Comentário:

A verdade é que tendo em vista os acontecimentos que cercam clientes e ISPs, não podemos confiar neles (ISPs). Casos de violação de privacidade, dados revelados e traffic shapping não refletem que devemos confiar nessas empresas. Claro que temos as tecnologias que acrescentam criptografia e tornam as comunicações mais seguras. Nesse tipo de comunicação os ISPs não podem interferir. Entretanto, para os tráfegos não criptografados, deverá ser criada uma legislação específica para proteger os possíveis abusos que eventualmente os clientes possam ser vítimas.

5. Cloud Computing é contra o espírito de Computação Pessoal :

Computadores pessoais foram feitos para capacitar os indivíduos, torná-los mais indepen- dentes e produtivos. A maioria dos pesos pesados da indústria de hoje devem seu sucesso ao viver de acordo com estas expectativas. Microsoft e IBM aliciaram o inesperado de Cloud Computing e é mais parecido com a Toyota, que adota o modelo de negócio de uma agência de alugar automóveis (Se isso viesse a acontecer, a Toyota poderia igualmente remarcar-se na moda do Vale do Silício, como uma assinatura baseada Provedor de Serviço de Transporte).

Comentário:

Com a evolução da CC é de se esperar que a computação pessoal sofra uma queda. Pórem, não é mérito apenas da CC. Há algum tempo que mobilidade passou a ser palavra de ordem no ramo da TI. Com a redução dos custos com hardware, miniaturização dos componentes e aumento do poder de processamento, dispositivos móveis vêm ganhando cada vez mais espaço entre os usuários. Então, colocar apenas a CC como culpada por ser contra o espírito da computação pessoal é querer menosprezar que a mobilidade se tornou uma necessidade da grande maioria dos usuários.

6. A CC torna a sua nuvem dependente das leis americanas:

Como a maioria dos grandes servidores Cloud Computing são operados por empresas sediadas nos Estados Unidos, os dados que você colocar na sua nuvem está sujeito à lei americana. E a lei americana, por sua vez, está sujeita a substituições, lacunas, “Atos Patrióticos”, e as exceções, dependendo da agência governamental (ou de pessoas/interesses) que os seus dados requerem. Você não pode sequer ser informado de que seus dados foram comprometidos pela mesma razão que, Jack Bauer começa torturarando seus reféns/prisioneiros – segurança nacional. E antes de chegar à nuvem, seus dados passarão por ISPs americanos que fornecem o tempo de atividade da nuvem. Os dados podem ser interceptados por Agências Estado antes mesmo de atingir as nuvens.

Comentário:

Mais uma vez quer se colocar culpa na nuvem por uma prática que já acontece desde o início da Internet. Os EUA sempre tiveram o controle da maioria da Internet. Para começar, a maioria dos servidores DNS raiz estão de posse dos EUA. As agências dos EUA monitoram a maior parte do tráfego da Internet, sobre o velho pretexto da segurança nacional. Agências como NSA, FBI e CIA possuem meios de monitorar a maior parte da atividade da Internet. Na CC, essa prática vai continuar sim, e deixar de adotar CC por causa de uma prática já realizada há muito tempo é insensato.

7. Cloud Computing pode expor seus dados confidenciais com “elementos corruptos” (e não, eu não estou falando de hackers e ladrões de identidade):

Uma vez que a corrupção na sociedade ocidental é mais um clube, a maioria das pessoas se referem a ela apenas em termos redigidos. Mas a menos que você seja realmente ingênuo(a), é uma realidade que você deve estar preparado para lidar com eles. Já em 2004, um cara Utah conseguiu números de cartão de crédito. O problema era que o nome e o endereço da aplicação só tinha sido previsto para o Registro de Veículos Automotores. A má notícia não é que as Agências do Estado Americano têm acesso backdoor às empresas americanas. Em vez disso, as empresas americanas têm uma relação incestuosa com as Agências do Estado Americano. Supondo que você é uma corporação não-americanas com sua nuvem hospedada por uma empresa americana, e seu principal concorrente é um peso-pesado americano com acesso backdoor para as agências estaduais, seus dados confidenciais sobre a nuvem pode ser apenas algumas chamadas de longa distância. Corporações norte-americanas são conhecidas por usar as agências estaduais como exércitos pessoais, embora muito pouco disto fica documentado. Pior, se o CEO da empresa que hospeda o Cloud e o CEO do seu concorrente pertencem à mesma fraternidade, os seus dados confidenciais sobre a nuvem pode ser apenas um aperto de mão de longa distância. Naturalmente, os dados sobre a nuvem estão encriptados e não podem ser acessados por qualquer um que não seja você mesmo. Mas até então, sempre há exceções.

Comentários:

Novamente se tenta justificar a teórica não viabilidade da CC com fatos que já ocorrem desde o advento da Internet. Não é novidade que sempre houve aproximação entre as grandes corporações americanas e as agências governamentais, e que essa aproximação sempre visou o lucro exagerado. Tecnologias como VPN e criptografia podem reduzir significati- vamente a facilidade de acesso a esses dados, garantindo um nível razoável de confidencialidade e integridade dos dados.

8. Cloud Computing está soando mais como um hall de entrada do que uma tendência:

De repente, todos os dedos, gurus e especialistas estão clamando para Cloud Computing. Os artigos estão aparecendo em publicações respeitáveis pesando os prós e contras. Chefes de negócios estão exibindo como eles conseguiram cortar custos. Será que podemos lembrá-lo de Big Tobacco, Sugar Big, Big Science e Big Pharma? Você compra no escuro? Você está disposto a “investir” os seus dados no sistema?

Comentário:

Erros já aconteceram durante a história. Na realidade, não há comprovação de que realmente a CC irá dar certo. Só o tempo, investimentos, empenho de empresas, universidades, governo poderão dizer se a CC virará um padrão ou não foi apenas fogo de palha. O que é certo, é que devido a necessidade de mobilidade e alta disponibilidade aonda quer que o usuário esteja, a CC busca atender a essas necessidades. Ainda há muitas questões para serem resolvidas, principal- mente com relação a segurança. Assim sendo, teremos que aguardar que os investimentos sejam feitos e que os desafios sejam vencidos. Só então a CC se tornará um padrão de fato.

9. Cloud Computing pode ser de pouca importância para pequenas e médias empresas:

A edição de maio 2009 da WIRED publicou um artigo interessante sobre Cloud Computing, destacando prós e contras. O exemplo citado chave a favor de Cloud Computing foi de um consultor de informações Eli Lily, que, como um cliente da Amazon Web Services usa o iPhone para rodar “análise genômica” on the Cloud. Como os executivos de muitas empresas podem se imaginar fazendo isso?

Comentário:

Como toda tecnologia, a CC também apresenta seus prós e contras. Limitar-se em destacar apenas um empresário que utiliza Iphone é ser bastante limitado em idéias. Se imaginarmos o Google Docs. Você saber que agora pode realizar todo o seu trabalho (que depende de uma suíte office) com um processo mínimo na sua máquina local. E ainda, que esses arquivos estarão disponíveis em qualquer lugar, a qualquer hora. Não será necessário pagar licenças, instalar softwares localmente e tudo de forma transparente para o usuário. Essas são apenas algumas das vantagens iniciais da CC, e a medida que a tecnologia for evoluindo, mas aplicações se tornarão possíveis e atenderão pequenas, médias e grandes empresas.

10. Cloud Computing pode não contribuir para a economia nacional:

Quando você comprar o hardware, software e consultoria técnica para a criação de um servidor localmente, você está apoiando diversas empresas locais. Com o Cloud Computing, você ignora todos estes. Mas os principais fornecedores de Cloud Computing são de propriedade americana e norte-americana? Sim, são. Mas quando descobrirem, eles poderão pensar em terceirização. E Cloud Computing é muito viável para terceirizar. Dado o seu histórico,não exatamente estimar empregando-americanos, a menos que Obama os obrigue a fazê-lo.

Comentário:

Novas tecnologias sempre virão. Com a CC não é diferente. Novas tecnologias sempre causam desemprego – o desemprego estrutural. São postos de trabalho que se fecham e nunca mais se abrem. No entanto, novas oportunidades são criadas, e se as pessoas não estão preparadas fica complicado colocar a culpa na nova tecnologia – e não na falta de compe- tência do profissional ou na falta de adaptabilidade dele para novas tecnologias.

Anúncios